Notícias » Política

 

Últimas notícias

  • Prefeitura de São Luís contabiliza repasse de recursos para escolas comunitárias

    Continuar lendo
  • Edinho Lobão admite que Dilma Roussef e o grupo Sarney podem ser derrotados

    Continuar lendo
  • Prefeitura de São Luís entrega cartas de atualização cadastral de imóveis

    Continuar lendo
  • Flávio Dino lança 53 propostas por um 'Maranhão de Todos Nós'

    Continuar lendo
  • Julião Amin volta atrás e diz que o PDT tem legitimidade para indicar o vice de Flávio Dino

    Continuar lendo
  • Quatro pessoas morrem em acidente grave no Campo de Perizes, na BR-135

    Continuar lendo
  • Quando João Castelo vai responder pelos desmandos na prefeitura de São Luís?

    Continuar lendo
  • Blogueiros da oligarquia estimulam oposição a lançar dois candidatos ao senado para dividir votos

    Continuar lendo
  • SEM CONTROLE: Três presos fogem por túnel descoberto em Pedrinhas

    Continuar lendo
  • Comandante de Polícia mata a esposa com 7 tiros no PI

    Continuar lendo

Agiotagem no Maranhão: o corajoso depoimento do prefeito de Cajapió

 
do site Maranhão da Gente
 
O prefeito de Cajapió Nonato Silva entre o presidente da Embratur, Flávio Dino e o Ministro da educação, Aluísio Mercadante, em reunião realizada recentemente em Brasília.
 
Em entrevista concedida neste domingo (16) ao jornalista Marcial Lima na rádio Mirante AM, o prefeito de Cajapió Nonato Silva (PCdoB) declarou que recebeu a indesejada visita de dois agiotas. Segundo o prefeito, os agiotas eram os mesmos que fazem parte da quadrilha que mandou matar o jornalista Décio Sá em abril de 2012.
 
Na conversa, Silva afirmou que os agiotas cobraram uma dívida de 75 mil reais referente a uma parte de empréstimos feitos pelo gestor anterior. Em razão dos juros, a dívida estaria em 150 mil reais.
 
Nonato quis saber qual a origem de dívida e os agiotas teriam relatado tratar-se de empréstimo feito pelo prefeito anterior para quitar dívidas de campanha.
 
Sem pestanejar, Nonato Silva encerrou a conversa com os dois agiotas dizendo:
 
” Já que se trata de uma dívida particular que não está relacionada a obras no município, eu não pagarei essa quantia que os senhores estão pedindo”.
 
Cajapió é um pequeno e paupérrimo município situado na Baixada Maranhense. A base da economia Cajapioense gira em torno das transferências de recursos federais por meio de pagamentos de aposentadorias do INSS, dos salários de servidores estaduais e municipais e dos programas de erradicação da pobreza do Governo Federal.
 
Governada até o ano passado por um senhor chamado Chico da Cerâmica, reeleito em 2008 sem apresentar prestação de contas ao TCE, a pequena cidade da Baixada amargou um processo de desmonte muito semelhante ao que acorreu em São Luís no final da gestão Castelo: O gestor esvaziou os cofres públicos sem pagar funcionários, abandonou postos de saúde e deixou a cidade destruída.
 
Pois bem…
 
Recém eleito após disputar quatro eleições sem sucesso, o técnico em enfermagem Nonato Silva teve que recomeçar a administrar a cidade do zero.
 
Salários atrasados, recursos exauridos, foi necessário fazer malabarismos para conseguir os recursos que garantissem o pagamento dos servidores públicos.
 
Para Nonato Silva, uma das soluções para melhorar os serviços públicos na cidade é não ceder às ameaças dos agiotas, que exigem ser ressarcidos com dinheiro público.
 
A entrevista chamou atenção pelo desprendimento do prefeito, ao reafirmar que não dará um único centavo ao grupo de agiotas que ele tem certeza fazerem parte da quadrilha que matou Décio Sá e o empresário Fábio Brasil.
 
O corajoso ato do prefeito e a situação do município de Cajapió, convidam para a reflexão e expõem o quanto as cidades do Maranhão perdem com esquemas dessa natureza.
© Rádio Voz do Maranhão
BRLOGIC